The Need for a Reference Point

O que é um ponto de referência e por que precisamos dele?


Observe e considere

Na lição 1 analisamos o significado e o propósito da vida. Também lembramos dessa frase do vídeo A ESPERANÇA: “Para aqueles que procuram respostas, para aqueles que estão ouvindo, há uma voz” (vídeo A ESPERANÇA, introdução). E finalmente concluímos com a pergunta “Será que estou escutando?"

Talvez você esteja buscando respostas para perguntas sobre a vida e sentido. O problema é que há tantas vozes concorrendo. Além das grandes religiões mundiais ( budismo, islamismo, judaísmo, hinduísmo e cristianismo), há centenas de religiões e visões de mundo. Todas elas defendem um determinado modo de vida. Muitas vezes, cada uma afirma ser o caminho para encontrar Deus. Contudo, nenhuma concorda totalmente ( e a maioria discorda radicalmente) sobre a natureza de Deus e como Ele pode ser encontrado. Com tantos ensinamentos contraditórios, como alguém pode saber qual é o caminho certo? Ajudaria se houvesse um ponto de referência.

Todo viajante precisa de ajuda para encontrar o caminho num país estranho. Alguns dependem de um guia de confiança – alguém que já fez a viagem com sucesso e pode ajudar outros a fazer o mesmo. Outros usam um mapa ou as instruções de alguém que conhece o caminho. Outros baseiam-se em um marco geográfico ou estrela como ponto de referência fixo para saber qual é sua posição e medir o seu progresso.

Como um viajante num país estrangeiro, nós também precisamos de ajuda para encontrar o caminho nesta jornada chamada vida. Necessitamos de uma fonte de ajuda que já tenha sido testada por outros e que provou ser confiável. Precisamos de um ponto de referência – algo constante e verdadeiro em que possamos nos basear. Sem esse ponto de referência, seremos como um homem num pequeno barco, no meio de um nevoeiro, sobre um mar infinito – perdido, à deriva... e sem direção.

Pergunte e reflita

Imagine que você está de olhos vendados na linha do gol de um campo de futebol. Agora imagine que alguém coloque você  em frente ao gol do outro lado do campo e diga para andar até chegar no gol do lado oposto. É quase inevitável que uma pessoa nessa se desvie para um lado ou outro, antes mesmo de chegar até a metade do campo.

Isto acontece porque todos temos uma perna mais forte com a qual damos passos maiores, o que faz com que nos desviemos para aquele lado.1 Em outras palavras, somos fisicamente ”propensos” para nosso lado mais forte. (Isto também explica porque uma pessoa perdida no deserto geralmente acaba andando em círculos).

O princípio desta ilustração também pode ser aplicado à alma. Quando se trata de como vemos o mundo ao nosso redor, somos todos influenciados de um modo ou de outro por nosso estado emocional, mental e espiritual. Muitos passam pela vida sem saber até que ponto suas propensões influenciam sua direção.

Para complicar as coisas ainda mais, imagine que ao andar com olhos vendados pelo campo de futebol, haja vozes nas laterais dizendo para você ir para cá ou para lá. As muitas religiões e visões  de mundo são como essas vozes nas laterais chamando as pessoas a segui-las. A sua tentativa de atravessar aquele campo não será somente influenciada por suas propensões pessoais, como também pelas propensões daqueles que estão ao seu redor.

Mas se alguém tirasse a sua venda e você pudesse ver claramente o gol do outro lado do campo? Aquele gol serviria como ponto de referência para definir seu caminho. Você poderia andar em linha reta sem ser desviado pelas vozes à sua volta. Muitos definiram o curso de sua vida na direção de um determinado objetivo sem jamais alcançá-lo; ou, quando o alcançaram, descobriram que não era aquilo que esperavam. Como o viajante num país desconhecido, na viagem da vida precisamos ter um ponto de referência que já tenha sido testado e aprovado por muitos outros, uma referência que não vá nos decepcionar.

  • Você tem um ponto de referência confiável para a sua alma? Algo que sirva para  definir o rumo de sua vida e, se  necessário, corrigir sua direção?
  • Em caso afirmativo, qual é esse ponto de referência?
  • Quais são as maiores influências (vozes) que moldaram suas ideias sobre Deus, p. ex.,. vozes da infância, família, professores ou educadores, amigos, pessoas que servem de modelo ou heróis?

Decida e aja

No livro de Provérbios encontramos o versículo que diz “Há caminho que parece certo ao homem, mas no final conduz à morte” (Provérbios 14.12).

Nesta semana, faça um levantamento das vozes em sua vida que têm chamado você a segui-las. Elas foram confiáveis, honestas e seguras? Caso contrário,  por que você as seguiu? Reserve tempo para pensar onde e por quem se formaram suas ideias sobre Deus.

A lição de hoje sobre a necessidade de um ponto de referência não foi apenas um exercício abstrato. É verdade que sua percepção determina o seu caminho, e o seu caminho determina o seu destino. Cuidado ao escolher o caminho que você vai seguir. Sua escolha terá consequências significativas e eternas.

Há outro versículo que diz que a  Palavra de Deus (a Bíblia) é  “lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho” (Salmo 119.105). As últimas lições desta semana apresentarão motivos para fazer da Bíblia seu ponto de referência na vida. Não passe por estas seções com pressa.  Dedique o tempo necessário para examinar cuidadosamente o que lê. Você ficará feliz por fazê-lo.

Footnotes

1Robert Schleip, The Dominant Leg (http://www.somatics.de/DominantLeg.htm). Retrieved October 2, 2006. Robert Schleip summarizes an article by Simone Kosog from the science section of the ‘Süddeutsche Zeitung Magazin’ 1999.