The Source of Unshakable Hope

Conhecendo-O através da Sua história.


INTRODUÇÃO

No Jardim do Éden, Deus prometeu enviar um Libertador. Por intermédio dos profetas de Israel, Deus deu centenas de promessas a respeito desse Libertador, que um dia derrotaria para sempre Satanás, o pecado e a morte. No templo, a fumaça dos sacrifícios subia ao céu dia após dia, ano após ano, geração após geração, lembrando constantemente o povo hebreu  da necessidade de um Libertador para a humanidade. Mas quando Ele viria? Como Ele viria? Alguns devem até ter duvidado que Ele realmente viria.

– A ESPERANÇA, Capítulo 7

Observe e considere

A lição de hoje assinala o meio na história de A ESPERANÇA. Até aqui temos examinamos muitas verdades e acontecimentos bíblicos. Exatamente como Deus pretendeu, isso preparou o palco para o que há de vir. Recapitulando, verificamos:

  • Por que podemos confiar na Bíblia como a revelação de Deus para o homem (Lições 3 e 4)
  • O que a Bíblia diz sobre Deus – quem Ele é e como Ele é (Lição 6)
  • O que a Bíblia diz sobre o homem – criado à imagem de Deus mas separado de Deus pelo pecado (Lições 9 e 10)
  • O propósito de Deus para o homem – amar a Deus e ser amado por Ele (Lição 13)
  • A natureza do pecado, seu efeito sobre o homem e seu relacionamento com Deus (Lições 18 e 19)
  • O que a Bíblia diz sobre Satanás e a luta que ele trava contra Deus e o homem (Lição 14)
  • A promessa de Deus para enviar um Libertador que derrotaria Satanás, o pecado e a morte para sempre (Lição 20)
  • Como as nações do nosso mundo vieram a existir (Lição 25)
  • Como Deus chamou um homem, Abraão, por intermédio de quem Ele prometeu abençoar todas as nações (Lição 26)
  • Como a promessa de Deus foi mantida viva através dos descendentes de Abraão (Lição 31)
  • Como através dos descendentes de Abraão Deus formou o povo hebreu, por meio de quem Ele enviaria o Libertador e cumpriria a Sua promessa de abençoar todas as nações (Lição 32)

Todos esses acontecimentos e verdades estão registrados nos cinco primeiros livros da Bíblia. Esses cinco livros (conhecidos entre o povo hebreu como a Torá) foram cuidadosamente compilados e meticulosamente preservados antes do período examinado nesta lição (aproximadamente 400 a.C. a 1 d.C.). Volte para a lição 3 e reveja os métodos dos hebreus para manter a precisão das cópias da Bíblia.

Um tema central recorrente ao longo de toda Torá é a missão e o ministério do Libertador prometido por Deus, a que o povo de Israel chamava de Messias. Centenas de profecias e muitas histórias na Bíblia aludem a esse tema central. Em nosso estudo da A ESPERANÇA, examinamos algumas delas: 

  • As peles de animais que Deus providenciou como cobertura para Adão e Eva (Lição 20)
  • A arca que guardou Noé em segurança pelo juízo do mundo (Lição 23)
  • O cordeiro que Deus providenciou para Abraão como substituto no sacrifício de seu filho (Lição 30)
  • O sangue do cordeiro pascal sobre as portas das casas do povo hebreu para protegê-los da morte (Lição 34)
  • As instruções que Deus deu ao povo de Israel em relação às ofertas para expiar (cobrir) o pecado (Lição 37)

Cada uma destas histórias ilustrou em profundidade como Deus um dia faria pelo homem aquilo o homem não podia fazer por si mesmo: oferecer a libertação do pecado e uma vida num relacionamento certo com Deus para sempre. Talvez você pense que com toda a revelação que estava  disponível para o povo de Israel, eles aguardariam diligentemente o Libertador prometido. Mas não foi o que aconteceu.

Os historiadores informam-nos que no período abrangido por esta lição a religião formal estava no seu auge, e a espiritualidade estava em baixa1. Enquanto alguns aguardavam de fato Aquele que foi prometido nas Escrituras, a maioria esperava apenas um libertador político que livraria da dominação estrangeira e que melhoraria sua vida. Como foi possível que sua atenção se desviasse da expectativa esperançosa por um Libertador predito nos textos sagrados?

A maioria dos historiadores e estudiosos bíblicos atribui essa mudança em parte à influência dos líderes hebreus que acrescentaram centenas de leis à “Lei” dada por Deus. Em Deuteronômio 12.32 Deus disse: “Apliquem-se a fazer tudo o que eu lhes ordeno; não lhe acrescentem nem lhe tirem coisa alguma.” Não é difícil ver como ao longo do tempo esse tipo de influência fez o povo hebreu desviar a sua atenção e perder sua visão. Deveríamos aprender uma lição com esse exemplo.

Pergunte e reflita

  • Recapitulando o que você aprendeu na primeira metade de nosso estudo, pergunte a si mesmo como isso afeta a sua visão de Deus e seu relacionamento com Ele.
  • Como vimos na Lição 5, o mundo “pós-moderno”2 de hoje rejeita a ideia de uma grande história que explica esse mundo e o nosso propósito nele. Esta visão pós-moderna leva ao relativismo3, a ideia de que todos nós precisamos criar uma história própria que explique o mundo e como nos encaixamos nele, e que todas as histórias são igualmente válidas e verdadeiras. O que diria ao pós-modernista que afirma não existir uma grande história que explica o mundo no qual vivemos e o nosso propósito nele? 

Decida e aja

O que precisamos aprender com o povo hebreu durante esse período da sua história é na verdade muito simples. Não negligencie a Palavra de Deus e não acrescente nada a ela! Romanos 15.4 diz isto claramente: “Pois tudo o que foi escrito no passado, foi escrito para nos ensinar, de forma que, por meio da perseverança e do bom ânimo procedentes das Escrituras, mantenhamos a nossa esperança”. Se você deseja uma esperança que não pode ser abalada num mundo de relativismo, torne-se um estudante da Palavra de Deus. Deixe que Sua Palavra molde a sua visão do mundo ao seu redor e do seu propósito nesse mundo.

Footnotes

1Ernest R. Martin PhD., The Intertestamental Period. (This article was written in 1986; Transcribed and Edited by David Sielaff, June 2002; © Associates for Scriptural Knowledge, 1976–2006). (http://askelm.com/doctrine/d020601.htm). Retrieved October 19, 2006.
2Postmodernism [A Definition]. (Public Broadcasting Service, 1995–2206). (http://www.pbs.org/faithandreason/gengloss/postm-body.html). Retrieved October 19, 2006.
3Relativism [Definition, etc.]. (Answers Corporation, 2006). (http://www.answers.com/topic/relativism). Retrieved October 19, 2006. For insights into how relativism can be refuted: Matthew J. Slick, Relativism. (Christian Apologetics and Research Ministry, 2003). (http://www.carm.org/cut/relativism.htm). Retrieved October 27, 2006.