The Passover – Images of the Promised Deliverer

Uma figura do Libertador prometido.


INTRODUÇÃO

“Digam a toda a comunidade de Israel que no décimo dia deste mês todo homem deverá separar um cordeiro ou um cabrito, para a sua família, um para cada casa. O animal escolhido será macho de um ano, sem defeito, e pode ser cordeiro ou cabrito. Guardem-no até o décimo quarto dia do mês, quando toda a comunidade de Israel irá sacrificá-lo, ao pôr-do-sol.”

– Êxodo 12. 3, 5, 6

“O sangue será um sinal para indicar as casas em que vocês estiverem; quando eu vir o sangue, passarei adiante. A praga de destruição não os atingirá quando eu ferir o Egito.”

– Êxodo 12.13

Moisés retornou ao Egito. E com seu irmão, Arão, Moisés foi até o Faraó. Mas o coração do Faraó estava endurecido em relação ao povo hebreu e ele recusou-se a deixá-los sair do Egito. Então Deus enviou uma série de pragas terríveis sobre o Egito. Porém nenhuma delas atingiu o povo hebreu. Depois de cada uma das pragas, Faraó continuava recusando-se a deixar o povo ir. Assim Deus ordenou que cada família hebreia matasse um cordeiro e aspergisse o sangue desse cordeiro sobre a porta de sua habitação. E Deus enviou a morte a cada primogênito da terra, exceto para aqueles que estavam em uma casa com sangue sobre sua entrada. Assim como no caso de Adão e Eva no jardim e de Abraão e seu filho na montanha, esta  era mais uma figura de como um dia um sacrifício substitutivo livraria  a humanidade de Satanás, do pecado e da morte.

– A ESPERANÇA, Capítulo 6

Observe e considere

Como vemos a partir dos trechos de A ESPERANÇA e dos versículos bíblicos acima, Moisés voltou ao Egito a fim de libertar o seu povo. Mas o governante do Egito não os deixou ir, mesmo depois de Deus enviar uma série de pragas que deveriam tê-lo levado a perceber que o próprio Deus estava atrás do pedido de Moisés. Depois de nove pragas que trouxeram doenças, insetos, répteis e várias catástrofes naturais ao Egito (sem afetar o povo hebreu)1, Deus ordenou que Moisés instituísse algo que até hoje é celebrado em parte pelo povo hebreu - a Páscoa.

Por intermédio de Moisés, Deus instruiu as famílias hebreias a levarem um cordeiro sem defeito para suas casas e cuidar dele por quatro dias. Aquele doce e inocente cordeiro deve ter se tornado quase um membro da família! Depois de quatro dias, deveriam matar o cordeiro e prepará-lo para uma refeição. Deus deu-lhes instruções específicas sobre como preparar o cordeiro e o que deveriam comer com ele. Cada elemento da refeição de Páscoa estava carregada de significado especial. Muitos livros foram escritos sobre esse assunto. (Veja “Para um estudo mais aprofundado”).

Deus também instruiu o povo hebreu a aplicar o sangue do cordeiro sobre as portas de suas casas. Deus disse que enviaria a morte a cada primogênito da terra, exceto aqueles que habitassem uma casa com sangue aplicado sobre a porta. Assim sucedeu, como Deus havia dito.

Há muitas lições a serem apreendidas desta história, mas talvez a história central esteja relacionada à preservação e libertação daqueles que confiam em Deus e Lhe obedecem. O povo hebreu não podia salvar a si mesmo da escravidão ou do julgamento que se abateu sobre a sua volta. Porém mais uma vez Deus forneceu um meio de libertação. Assim com Deus providenciara uma cobertura para Adão e Eva, uma arca para Noé, um substituto para o sacrifício do filho de Abraão, assim Deus também providenciou um cordeiro para que o povo hebreu pudesse ser salvo.

Cada uma destas “provisões” de Deus revela algo sobre o Libertador prometido prometido. Para aqueles que confiam em Deus, esseLibertador prometido será como uma cobertura para defendê-los das consequências do pecado. Ele será como uma arca para carregá-los em segurança pelo julgamento. Ele se entregará a Si mesmo por eles, do mesmo modo como o cordeiro preso no arbusto foi dado por Deus no lugar de Isaque. E assim como o cordeiro da Páscoa, Seu sangue os cobrirá salvando-os da morte eterna.

Pergunte e reflita

  • À medida que examinamos as “provisões” de Deus mencionadas acima, parece claro que Ele andou muitas milhas para ajudar-nos a entender quem e o que o Libertador prometido será para aqueles que confiam em Deus. O que esses exemplos revelam sobre o Libertador prometido por Deus?
  • Como veremos na próxima lição, alguns chamarão esse Libertador de Cordeiro de Deus. O que você pensa sobre as instruções de Deus para o povo hebreu levar um cordeiro sem defeito até suas casas, viver com ele tempo suficiente para apegar-se a ele, e depois matá-lo a fim de que o sangue desse cordeiro o protegesse da morte?
  • O valor de alguma coisa pode ser medido pelo preço que alguma pessoa está disposta a pagar por ela. E a seriedade de um problema muitas vezes é medida pelas providências que uma pessoa está disposta a tomar na busca de uma solução. Imagine o que deve ter passado pela mente das crianças da família quando o pai matou o cordeiro da páscoa. Elas poderiam ter visto tudo isso apenas como um ato terrível. Ou talvez tenham entendido que a seriedade desse ato era diretamente proporcional à gravidade da necessidade que estava sendo satisfeita. Como isso pode estar relacionado à missão do Libertador prometido de derrotar Satanás, o pecado e a morte para sempre?

Decida e aja

Talvez as instruções de Moisés ao povo hebreu tenham sido estranhas na época. Pode ser que tenha acontecido a mesma coisa quando Deus mandou Noé construir a arca e preparar-se para algo chamado dilúvio. Considerando que jamais chovera na terra, é fácil ver porque o povo zombou de Noé. Contudo, em vista do julgamento que se seguiu, essas instruções não parecem tão bizarras. 

Será que Deus está pedindo você fazer algo que parece estranho de acordo com os padrões do mundo ao seu redor? Em caso afirmativo, seja como Noé, Moisés e o povo hebreu. Confie em Deus e obedeça-Lhe. Ele irá protegê-lo e abençoá-lo.

For Further Study

Footnotes

1Êxodo 7-11