Joseph – Submitted to His Purpose

Um exemplo vivo de Romanos 8.28.


INTRODUÇÃO

“Vocês planejaram o mal contra mim, mas Deus o tornou em bem, para que hoje fosse preservada a vida de muitos.”

– Gênesis 50.20

Jacó teve doze filhos, mas havia um chamado José a quem ele amava muito. E os irmãos de José tinham grandes ciúmes dele. Por isso agarraram José, lançaram-no  numa cova, e depois venderam-ni a alguns comerciantes que estavam a caminho da terra chamada Egito. Os irmãos banharam a roupa de José em sangue, fazendo com que seu pai acreditasse que José havia sido devorado por uma fera. 

José entrou na terra do Egito como escravo. Mas no Egito, Deus colocou José a serviço de uma pessoa poderosa. No tempo certo José foi intimado a comparecer diante do governador de todo o Egito, que era chamado Faraó. Ele pediu que José interpretasse um sonho. Deus deu a José a interpretação certa, a respeito de uma grande fome que viria sobre a terra. O Faraó ficou contente com José, e foi assim que ele deu a José autoridade sobre a terra do Egito.

Quando a fome veio sobre a terra, a família de José sofreu grandemente na terra de Canaã. Mas no Egito José havia enchido os celeiros, eE embora José tivesse sido traído por seus irmãos, ele ainda tinha amor profundo por sua família. Por causa da posição que Deus havia dado a José,  toda a sua família teve permissão para  morar no Egito, escapando da fome. E assim o povo através do qual Deus prometeu abençoar as nações habitou em uma terra que não lhes pertencia.

– A ESPERANÇA, Capítulo 6

Observe e considere

Muitos estudiosos da Bíblia acreditam que a vida de José aponta para a promessa de Deus de um Libertador, que iremos estudar num dos próximos capítulos da A ESPERANÇA. De fato, as semelhanças entre José e oLibertador prometido prometido são realmente extraordinárias.

Veja que tanto José como oLibertador prometido prometido... 1

  • Foram enviados por seus pais a seus irmãos – os irmãos de José o odiavam e procuraram matá-lo, e os próprios compatriotas do Libertador o rejeitaram e procuraram matá-lo (veja Gênesis 37.13ss, João 7.3, Lucas 20.47).
  • Tinham uma túnica que fora tirada deles (Gênesis 37.23–24, João 19:.4).
  • Passaram tempo no Egito (veja Gênesis 37.25–28, Mateus 2.14–15).
  • Foram vendidos pelo preço de um escravo (veja Gênesis 37.28, Mateus 26.15).
  • Foram presos (veja Salmo 105.18, Gênesis 39.20, Mateus 27.2).
  • Foram tentados (veja Gênesis 39.7–10, Mateus 4.1–11).
  • Foram falsamente acusados (veja Gênesis 39.16–17, Mateus 26.59).
  • Foram postos junto a dois outros prisioneiros, um dos quais foi salvo, e o outro não (veja Gênesis 40.2–22, Lucas 23.32 – 43).
  • Começaram seus ministérios aos trinta anos de idade (veja Gênesis 41.46, Lucas 3.23).
  • Foram exaltados por Deus depois de um tempo de sofrimento (veja Gênesis 41.41–43, Filipenses 2.9–11).
  • Perdoaram aqueles que os prejudicaram (veja Gênesis 45.1–15, Lucas 23.34).
  • Foram enviados por Deus para a salvação de muitos (Gênesis 45.7, Mateus 1.21, Marcos 10.45).
  • Compreenderam que Deus transformou o mal em bem (veja Gênesis 50.20, Romanos 8.28).
  • trouxe reconciliação, um para a sua família, o outro para o mundo (ver Gênesis 45. 7-10; Romanos 5.10)

Ao estudarmos as vidas de José e do Libertador Libertador prometido, vemos outro ponto em comum, o qual permitiu que todas as semelhanças acima se manifestassem. Tanto José como o Libertador prometido prometido estavam sujeitos a um propósito que não era o seu. Eles entenderam que suas vidas eram parte de um plano maior, e cooperaram com esse plano. João 6.38, registra as palavras do Libertador Libertador prometido: “Pois desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas para fazer a vontade daquele que me enviou”.

Em José reconhecemos a evidência de uma influência divina intencional que guiou os acontecimentos de sua vida. Como uma folha que cai num grande rio, a vida de José foi movida pelo poderoso fluxo de uma correnteza divina. E a cada evento da sua vida (até mesmo os acontecimentos difíceis), José submeteu-se àquele fluxo, em vez de resistir. Deus usou a vida de José para realizar exatamente o que Ele tinha planejado de antemão, trazendo o bem a vida de José e a outros, e glória a Si mesmo.

Pergunte e reflita

  • Com base na vida de José, o que podemos aprender sobre Deus e sobre nosso relacionamento com Ele?
  • Em sua opinião, por que  Deus dirigiu a vida de José de modo a ter tantas semelhanças com a vida do Libertador prometido por Deus? 
  • Deus criou cada pessoa com um propósito (Efésios 2.10). Em retrospectiva, não é difícil reconhecer o propósito da vida de José, mas e quanto ao próprio José? Você acha que José sempre compreendeu o propósito de sua vida, ou a razão dos acontecimentos de sua vida?

Decida e aja

Pode ser que você ainda não conheça o propósito de sua vida ou das coisas que acontecem em sua vida, mas você pode conhecer Aquele que dá propósito à vida. E como José, em cada circunstância você pode submeter-se ao fluxo da correnteza divina em sua vida.

Você conhece Deus como José O conhecia? Tem certeza da Sua presença para orientá-lo? Se não, vá imediatamente para a seção Conhecendo Deus no final deste guia de estudo.

Deus trouxe alguma circunstância difícil para sua vida? Em caso afirmativo, siga o exemplo de José. Veja-o como uma oportunidade para Deus operar em e através de você, para trazer o bem a você e a outros, e glória a Si mesmo. Pois “Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito” (Romanos 8:28).

For Further Study

Footnotes

1Some of this listing was suggested by “Parallels between Joseph and Jesus,” Life Application Study Bible: New International Version. (Tyndale House Publishers, 1997).