The Resurrection – Fact or Fiction?

Prova da ressurreição.


INTRODUÇÃO

Depois do sábado, tendo começado o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. E eis que sobreveio um grande terremoto, pois um anjo do Senhor desceu do céu e, chegando ao sepulcro, rolou a pedra da entrada e assentou-se sobre ela. Sua aparência era como um relâmpago, e suas vestes eram brancas como a neve. Os guardas tremeram de medo e ficaram como mortos. O anjo disse às mulheres: "Não tenham medo! Sei que vocês estão procurando Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui; ressuscitou, como tinha dito. Venham ver o lugar onde ele jazia”.

– Mateus 28.1-6 

Na manhã do terceiro dia após Jesus ter sido crucificado, um grupo de mulheres foi visitar o túmulo. Elas não foram as primeiras. Durante a madrugada, um anjo de Deus havia descido do céu. Os soldados que guardavam o túmulo foram atordoados pelo medo e o anjo removeu a pedra que selava a entrada. O túmulo estava vazio! Assim como prometera, Jesus havia ressuscitado dentre os mortos!

Ao longo dos quarenta dias seguintes, Jesus apareceu fisicamente a muitas pessoas. Com algumas Ele andou e conversou. Com outras, partilhou refeições. Em uma ocasião, Ele apareceu a mais de quinhentas pessoas.

– A ESPERANÇA, Capítulo 11

Observe e considere

Qual é a importância do fato histórico da ressurreição de Jesus? O apóstolo Paulo escreveu que se Jesus não tivesse ressuscitado dos mortos, a nossa fé seria inútil! (1 Coríntios 15.17). Ao longo das próximas lições compreenderemos melhor a declaração poderosa de Paulo quando estudarmos o significado da ressurreição.  Mas vamos começar examinando a evidência esmagadora de que a ressureição de Jesus aconteceu de fato, e que não foi apenas uma invenção ou um mito, como alegam alguns incrédulos.

Livros e mais livros foram escritos sobre esse assunto, mas dentro do propósito de nosso estudo, iremos analisar quatro áreas de evidência:

  • O túmulo vazio – Jesus disse publicamente que Ele ressuscitaria dos mortos. Sabendo disso, os líderes religiosos judeus temiam que alguém tentasse roubar o Seu corpo e então iniciasse um boato sobre uma ressurreição. Por isso convenceram o governador a colocar guardas e lacrar o túmulo com um selo oficial (Mateus 27.62-66). Os soldados do governador estavam altamente motivados a guardar o túmulo, pois sabiam que se não seguissem suas ordens a punição poderia ser a morte. Romper um selo oficial também era passível de morte – e mesmo assim o túmulo estava vazio!
  • As testemunhas oculares – A Bíblia registra muitos encontros que diversas pessoas tiveram com o Jesus ressuscitado (inclusive Seus discípulos mais chegados, que O conheciam melhor do que a maioria) (Mateus 28.9-10, 16-20; Marcos 16.12-18; Lucas 24.13-43; João 20.14-18, 26-29; 21.15-23). Numa ocasião Jesus apareceu a um grupo de 500 pessoas de uma vez ( 1 Coríntios 15.6). 
  • A reação dos discípulos – Mesmo com o túmulo vazio e as testemunhas, alguns argumentam que a história da ressureição de Jesus foi uma conspiração cuidadosamente engendrada. Porém esse argumento perde sua força quando analisamos a vida apaixonadamente comprometida dos discípulos depois da ressureição. Muitos daqueles que seguiram Jesus, inclusive os doze discípulos exceto um, foram martirizados por sua fé inabalável Nele. Mais do que ninguém, esses homens saberiam se a ressureição foi um embuste. Todavia, eles foram fervidos em óleo, serrados ao meio, crucificados com a cabeça para baixo, lançados aos leões e traspassados por lanças até morrerem. Algumas pessoas estão dispostas a morrer pelo que acreditam ser a verdade, mas somente um louco ou um tolo morreria por algo que ele sabe que é uma mentira.
  • O testemunho dos peritos – Num tribunal de justiça, muitas vezes convocam-se peritos para avaliar evidências. Ao longo do tempo inúmeros estudiosos examinaram as evidências da ressurreição e concluíram que ela é um fato histórico. Conforme dissemos acima, já se escreveram livros e mais livros sobre esse assunto. Por exemplo, veja o seguinte trecho do livro History of Rome [A história de Roma], de Thomas Arnold, professor de história moderna na universidade de Oxford, Inglaterra: “Tenho sido usado por muitos anos para estudar as histórias de outras épocas, examinar e ponderar as evidências daqueles que escreveram sobre elas, e não conheço nenhum fato na história da humanidade que tenha sido comprovado por provas melhores ou mais completas, e que satisfaçam um investigador honesto, do que o grande sinal dado por Deus - que Cristo morreu e ressuscitou dos mortos”.

Pergunte e reflita

  • Você acha que as evidências apresentadas acima são suficientes para comprovar a ressureição como um fato histórico? Por que sim ou por que não? Se você acha que não, o que  poderia comprová-la como fato? 
  • O que mais que Deus poderia ter feito a fim de dar-nos provas suficientes para crermos que Jesus ressuscitou dos mortos?
  • Existem coisas hoje que você aceita como fato e das quais você tem menos provas do que a ressureição? Por que você decidiu acreditar nestas coisas?

Decida e aja

Um dos discípulos, Tomé, teve dificuldade em crer que Jesus ressurgira dos mortos. Tomé disse aos outros discípulos que não acreditaria a menos que tocasse nas feridas de Jesus. Então Jesus apareceu e deu a Tomé a oportunidade de fazer exatamente isto. Tomé respondeu: “Senhor meu e Deus meu!”

A maioria dos estudiosos bíblicos crê que Tomé foi para a Pérsia e dali para a Índia pregando sobre o Libertador prometido por Deus, Jesus. Alguns creem que ele foi até a China, também. Acredita-se também que Tomás foi martirizado na Índia depois de ter conduzido muitos à fé em Jesus.1

Tomé foi alguém que duvidou. Mas depois de convencido, ele se entregou completamente à causa de Jesus. Você está convencido sobre Jesus? Em caso afirmativo, como você respondeu a Ele?

Muita gente teve (ou ainda tem) dúvidas sobre Jesus. Alguns, como Tomé, são sinceros e simplesmente não conseguem crer com o coração em algo que sua mente rejeita. Outros, porém, simplesmente se escondem atrás do que chamam de dúvidas para evitar ter de lidar com o que sabem ser a verdade. Se você faz parte de um desses grupos, saiba que o ponto de partida para qualquer pessoa cética é o mesmo. Seja honesto com Deus! Tomé foi honesto quanto à sua dúvida, e Deus foi ao encontro dele no lugar em que precisava ser encontrado.

“Vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo o coração.” (Jeremias 29.13)

For Further Study

Footnotes

1William McBirnie, “Thomas” from his book The Search for The Twelve Apostles. (© 2006 BiblePath.Com, 2006). (http://www.biblepath.com/thomas.html). Retrieved November 27, 2006.