Final Words

Antes de partir, Jesus explica o plano divino.


INTRODUÇÃO

E disse-lhes: "Foi isso que eu lhes falei enquanto ainda estava com vocês: Era necessário que se cumprisse tudo o que a meu respeito estava escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos". Então lhes abriu o entendimento, para que pudessem compreender as Escrituras. E lhes disse: "Está escrito que o Cristo haveria de sofrer e ressuscitar dos mortos no terceiro dia, e que em seu nome seria pregado o arrependimento para perdão de pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. Vocês são testemunhas destas coisas. Eu lhes envio a promessa de meu Pai; mas fiquem na cidade até serem revestidos do poder do alto".

– Lucas 24.44-49

Ele abriu suas mentes para entenderem os acontecimentos ocorridos à luz de tudo o que havia sido dito pelos profetas do passado. Ele explicou que, para o perdão de pecados, era preciso que Ele sofresse a morte e ressuscitasse. E falou do Reino de Deus, dizendo que toda a autoridade no céu e na terra fora-Lhe dada. Chegara o momento de Jesus ir para o Pai e preparar um lugar no céu para todos aqueles que O amam. Jesus prometeu aos Seus seguidores que em breve o Espírito de Deus viria e os capacitaria para compartilharem Sua verdade, amor e perdão com o mundo todo. Após dizer isto, Jesus os deixou e ascendeu ao céu.   

– A ESPERANÇA, Capítulo 11

Observe e considere

Muitas vezes quando temos a sensação de que o tempo pode não ser suficiente, escolhemos as nossas palavras com mais cuidado. Por isso, palavras finais possivelmente são mais importantes,  capazes até mesmo de mudar vidas. No curto espaço de tempo entre Sua ressureição e ascensão aos céus, Jesus passou momentos preciosos com Seus seguidores. Durante este tempo Ele explicou:

  • O que havia Lhe acontecido  – Jesus explicou que Sua morte e ressureição faziam parte do plano anunciado com antecedência na palavra de Deus. Era necessário que Ele morresse para o perdão dos pecados.
  • O que aconteceria com eles – – Na véspera de Sua crucificação, Jesus disse aos Seus discípulos que Ele iria ao Pai para preparar-lhes um lugar no céu (João 14.2-3). Mas também prometeu que enviaria outro, alguém chamado Consolador, vindo do Pai (João 14.16-20). Aproximando-se o momento da partida de Jesus, Ele repetiu a promessa que fizera aos discípulos: enviar esse Consolador que na verdade é o Espírito de Deus, conhecido na Bíblia como o Santo Espírito (Atos 2.17, 33; 4.31; 5.32).
  • O que Seus seguidores deveriam continuar fazendo até se reunirem novamente com Ele – Jesus disse aos Seus seguidores que até a Sua volta eles deveriam compartilhar com o mundo inteiro, com pessoas de todas as nações, a verdade que haviam vivenciado. 

No próximo e último capítulo de nosso estudo, examinaremos mais de perto a promessa de Jesus de mandar o Espírito Santo e Suas instruções para compartilharmos Sua verdade com o mundo todo. Mas nesta lição, concluiremos nosso estudo de Sua morte e ressureição examinando-as no contexto do grande plano de Deus.

Primeiro, os versículos 44 e 45 de Lucas 24 afirmam que tudo o que Jesus disse e fez foi o cumprimento do que a Lei de Moisés, os profetas e os Salmos diziam a Seu respeito. Alguns céticos dizem que como Jesus conhecia as antigas escrituras, Ele simplesmente orquestrou a Sua vida de modo a cumpri-las. Uma pessoa poderia planejar um acontecimento ou dois, e talvez até organizar sua própria morte, mas lembre-se que Jesus cumpriu centenas de profecias (veja a Lição 4). Além disto, dificilmente um simples mortal poderia planejar sua própria ressureição! Quando Jesus “abriu suas mentes para entenderem as escrituras”, não havia dúvida de que Ele era o personagem central!

Considere também que nada disso simplesmente “aconteceu” a Jesus. Por mais que Sua morte tenha sido horrível, Jesus nunca foi uma vítima. Nem os líderes religiosos judeus nem o governador estrangeiro podem ser acusados da morte de Jesus. Jesus mesmo disse que ninguém podia tirar a Sua vida, mas que “Eu a dou por minha espontânea vontade. Tenho autoridade para dá-la e para retomá-la” (João 10.18). Se alguém pode ser acusado da morte de Jesus, somos eu e você, e cada um que nasceu com pecado e necessitado um Salvador!

Pergunte e reflita

  • Você vê a Bíblia e a história de Jesus à uma nova luz depois desse estudo de A ESPERANÇA? Em caso afirmativo, você pode explicar como seu ponto de vista mudou?
  • Pense que se você fosse a única pessoa com pecado no mundo, o seu pecado teria sido suficiente para levar Jesus à cruz, e Ele se disporia a ir. Você se vê como um personagem na grande história de Deus? Por que sim ou por que não?

Decida e aja

Estamos chegando ao fim de nosso estudo. Provavelmente você não estudará esse material de novo (pelo menos no contexto deste estudo). Se você quiser recapitular algo para examinar melhor a questão, separe um  tempo para isso. Se você ainda tem assuntos a resolver com Deus como resultado do que você aprendeu durante esse estudo, não deixa para mais tarde. Decida resolver isto com Ele, e busque toda orientação necessária para fazê-lo.

For Further Study