What Is Truth?

Não se engane. A verdade é uma pessoa… Jesus.


INTRODUÇÃO

 

Pilatos então voltou para o Pretório, chamou Jesus e lhe perguntou: "Você é o rei dos judeus? " ... Disse Jesus: "O meu Reino não é deste mundo. Se fosse, os meus servos lutariam para impedir que os judeus me prendessem. Mas agora o meu Reino não é daqui".  "Então, você é rei! ", disse Pilatos. Jesus respondeu: "Tu dizes que sou rei. De fato, por esta razão nasci e para isto vim ao mundo: para testemunhar da verdade. Todos os que são da verdade me ouvem". "Que é a verdade? ", perguntou Pilatos. 

Ele disse isso e saiu novamente para onde estavam os judeus e disse: "Não acho nele motivo algum de acusação. Contudo, segundo o costume de vocês, devo libertar um prisioneiro por ocasião da Páscoa. Querem que eu solte ‘o rei dos judeus’?" Eles, em resposta, gritaram: "Não, ele não! Queremos Barrabás! " Ora, Barrabás era um bandido. Então Pilatos mandou açoitar Jesus.

–  João 18.33 – 19.1

Jesus havia falado muitas vezes sobre o Reino de Deus, de modo que o governador lhe perguntou: “Você é um Rei?” Jesus respondeu que o Seu Reino não era deste mundo. O governador disse aos líderes religiosos: “Este homem não fez nada digno de morte”. Mas os líderes religiosos ainda buscavam a morte de Jesus, alegando que Ele era uma ameaça ao povo e ao governador. Jesus não se defendeu. O governador ficou impressionado.

– A ESPERANÇA, Capítulo 10

Observe e considere

Livros inteiros já foram escritos sobre o que aconteceu durante a última semana do ministério terreno de Jesus. Como A ESPERANÇA é apenas um panorama resumido da Bíblia, ela não pode tratar de todos os acontecimentos na Bíblia, muito menos com detalhes. Esta lição irá dedicar-se a apenas um detalhe de um desses acontecimentos.

Depois de celebrar a Páscoa, Jesus e Seus discípulos foram para um jardim. Ali Jesus foi detido e levado até os líderes religiosos judeus. Eles O interrogaram e declararam-No culpado por alegar ser o Filho de Deus. Depois disso Ele foi enviado ao governador estrangeiro (Pilatos) que governava sobre a terra dos judeus. Os líderes religiosos de Israel pensavam que se Jesus mantivesse diante de Pilatos sua afirmação de ser rei (ou qualquer outro tipo de “governante”), então o governador seria forçado a puni-lo com severidade, talvez até condenando-O à morte. É onde começa esta lição.

Pilatos pergunta a Jesus se Ele é um rei. Jesus responde que Seu reino não é deste mundo. Depois Jesus diz que veio “ao mundo para testemunhar da verdade. Todos os que são da verdade me ouvem".  A esta altura só podemos imaginar o que o governador estava pensando. Tanto Mateus 27.14 como Marcos 15.5 informam que o governador ficou “impressionado” com Jesus. Mesmo que Pilatos talvez não compreenda exatamente quem Jesus é, ele sabe que Jesus é uma pessoa muito extraordinária. O governador pergunta a Jesus "Que é a verdade? "

Será que a pergunta foi sincera, ou simplesmente retórica? Mais uma vez, podemos apenas  imaginar, mas considerando que o governador não esperou por uma resposta antes de se afastar de Jesus, podemos concluir que essa pergunta foi apenas uma cortina de fumaça, algo para desviar as atenções. Talvez Jesus estivesse convencendo o governador.  E sendo um estrategista polido, Pilatos decidiu reagir sem de fato envolver Jesus; fazendo uma pergunta que imaginava não ter resposta.

Muita gente que se depara com as afirmações de Jesus age exatamente do mesmo modo! Talvez sintam que há algo extraordinário em Jesus, mas não querem realmente saber quem Ele é e assumir sua responsabilidade de envolver-se honestamente com Ele. Em vez disso, reagem com uma pergunta como: “Bem, se Deus é bom então como...?” ou “Será que isto significa que todos aqueles que não creem assim vão para o inferno...?” e assim por diante. Pode ser que realmente não seja possível saber se uma pessoa está fazendo uma pergunta sincera, ou simplesmente usando-a como subterfúgio. Mas é mais comum que o motivo verdadeiro seja o mesmo do governador: o que fazer com Jesus e Suas afirmações?

Muitas vezes pensamos que a verdade é algo certo e preciso. Neste mundo de relativismo, alguns diriam que a verdade é o que é verdadeiro para cada um (veja Lição 40). Em João 14.6  Jesus disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim”. Jesus diz que a verdade não está embrulhada num princípio, numa ideia ou num fato; a verdade está personificada numa pessoa, e que Ele é essa pessoa. Que ironia! O governador está perguntado “O que é a verdade?” enquanto a verdade está o tempo todo bem diante dele.

No fim Pilatos cede às exigências dos líderes religiosos judeus para decidir o destino de Jesus, ou pelo menos assim eles pensam. Na verdade, Jesus está em completo controle de Seu próprio destino. (Veja João 10.17-18). Depois de entregar Jesus à morte, o governador lava suas mãos, como símbolo de que não tem mais nada a ver com a questão (Mateus 27.24). Mas depois de encontrar Jesus, será que realmente podemos “lavar as mãos” em relação a Ele?

Pergunte e reflita

  • Você se lembra  de alguma situação em que alguém evitou um assunto, tentando envolvê-lo numa discussão para desviar a questão? Você acha que a pergunta do governador (“O que é a verdade?”) foi sincera? Por que sim ou por que não?
  • Esta lição afirma que a verdade não está numa ideia ou num fato, mas sim na pessoa de Jesus. Isso afeta sua visão de Jesus? Em caso afirmativo, como?

Decida e aja

No fim, só há uma pergunta que cada um precisa responder: “O que você fará com Jesus?” (Atos 4.12). Se você já respondeu a essa pergunta e pôs sua fé Nele, cuidado com os subterfúgios ao conversar com outros sobre Ele. Se Jesus é realmente quem Ele diz ser, então as respostas a essas “cortinas de fumaça” – não importa o quanto sejam importantes – não deveriam mudar nossa reação a Jesus.

Se você nunca decidiu o que fará com Jesus, saiba que não é possível esquivar-se da pergunta para sempre, como o governador tentou fazer. Todos têm de responder. Se você está pronto agora, vá imediatamente até a seção “Conhecendo Deus” no final deste estudo.

For Further Study