Creation – Part 2

Um caso científico a favor da criação


INTRODUÇÃO

De acordo com a Sua história, Deus criou tudo por Sua palavra. Por Sua palavra Ele criou tudo do nada... De acordo com Sua história, Deus criou os céus, a terra, e todo ser vivente em seis dias.

– ESPERANÇA, Capítulo 1

Observe e considere

Mesmo entre aqueles que creem que o mundo foi criado por Deus, existem interpretações diferentes do relato de criação descrito na Bíblia. Contudo, entre as opiniões bíblicas predominantes também há consenso em muitos dos conceitos básicos. Depois de ler a frase acima do vídeo A ESPERANÇA, vamos analisar alguns destes conceitos.

Primeiramente, como Deus é todo-poderoso, nada O limita. Ele pode criar como quer, mesmo que seja simplesmente falando. Este conceito está claramente apresentado na Bíblia:

“Disse Deus: ‘Haja luz’, e houve luz.” (Gênesis 1.3)

“... pela palavra de Deus, existem céus e terra.” (2 Pedro 3.5)

Em segundo lugar, Deus criou tudo que existe a partir do nada. Pense nisso. Quando nós, seres humanos, criamos, temos de usar coisas que já existiam antes de nós. Quando “criamos”, na verdade estamos “recriando”. Porém Deus, que criou a partir do nada, é criativo no sentido absoluto:

“Deus que dá vida aos mortos e chama à existência coisas que não existem.” (Romanos 4.17)

Em terceiro lugar, Deus criou o mundo inteiro em seis dias. A Bíblia também apresenta esse conceito de forma muito clara:

“Pois em seis dias o Senhor fez os céus e a terra, o mar e tudo o que neles existe...” (Êxodo 20:11)

Ainda que os estudiosos da Bíblia estejam debatendo há muito tempo o significado de “seis dias”, a afirmação de que Deus criou os céus e a terra e tudo que neles há evidentemente contradiz  a noção de que o mundo é apenas o resultado de um processo evolucionário natural.

Os evolucionistas discordam. Eles argumentam que o mundo não foi criado por um autor, mas evoluiu a partir dos seus inícios orgânicos básicos até o complexo sistema de vida que conhecemos hoje. Mas essa ideia desafia uma lei fundamental da física: a Segunda Lei da Termodinâmica, segundo a qual num sistema fechado tudo tende à entropia (decadência).1 Essa afirmação um tanto técnica diz essencialmente que sem a intervenção de uma força ou influência externa, no mundo natural nada melhora com o tempo – ao contrário, no final tudo caminha para a destruição!

Para deixar isso ainda mais claro, voltemos à ilustração de Paley a respeito do relojoeiro na lição 7.

Suponhamos que você esteja caminhando por um campo e encontre um montinho de peças de relógio. A evolução sugere que um dia esses pedaços aleatórios se ajuntarão e formarão um cronômetro preciso. Ou talvez se transformem num carro. A metáfora do relojoeiro sugere que sem a intervenção de um criador aqueles pedaços nunca se juntarão num relógio. De acordo com a Segunda Lei da  Termodinâmica, o que se espera é que esses pedaços de relógio um dia fiquem enferrujados e se reduzam a pó!

Em palavras mais simples, a ideia de que este mundo é o resultado do processo evolucionário natural requer que creiamos que, ao logo do tempo, de alguma maneira coisas simples se desenvolveram para se tornarem algo muito mais complexo. A Segunda Lei da Termodinâmica nos ensina a esperar exatamente o contrário!

Além disto, a Bíblia nos diz que na verdade Deus é quem mantém o mundo em funcionamento. Colossenses 1.17 confirma isso: “Ele é antes de todas as coisas, e nele tudo subsiste”. A ciência nuclear chegou à conclusão de que as menores partículas de um átomo giram a uma velocidade inimaginável, mas ainda não conseguiram explicar o que impede o átomo de se desfazer nesse movimento. Em Colossenses 1.17 a Bíblia afirma que Deus é quem mantém todas as coisas – até mesmo o menor átomo.

Pergunte e reflita

  • Ao examinar os atributos de Deus que estudamos esta semana, você acha difícil crer que Deus pode ter criado o mundo todo da maneira descrita na Bíblia? Por que? Por que não?
  • Já dissemos que o nosso entendimento do relato bíblico da criação determinará como entendemos o restante da Bíblia. Como isso poder ser verdade? Se a história bíblica da criação não for verdade, o que isso diria sobre Deus?

Decida e aja

Algumas pessoas têm dificuldade de aceitar a história bíblica da criação. Afinal, isso parece desafiar as leis naturais, e requer que creiamos num ser criador cuja obra podemos ver, mas cuja face, não. Essa crença exige fé, mas não uma fé cega. À medida que caminharmos por guia de estudo e considerarmos e examinarmos a Bíblia, aprenderemos que a fé bíblica não é irrazoável, nem tampouco cega.

Dedicamos bastante tempo a este estudo para entender por que a Bíblia é digna de confiança. Ao definir isso, conferimos peso ao que a Bíblia diz sobre os atributos de Deus. E com o que aprendemos sobre os atributos de Deus, podemos entender melhor como esse Deus pode ter criado o mundo e tudo que nele há, exatamente como a Bíblia diz que Ele fez. Este entendimento do caráter e da natureza de Deus não elimina a necessidade de fé, mas elimina a necessidade de uma fé cega.

Muitos rejeitam ou descartam as afirmações da Bíblia porque as leem  fora do contexto, sem terem antes formado um alicerce para a fé. O propósito deste guia de estudo é criar um contexto para entender as afirmações da Bíblia, de modo a construir um alicerce para a fé, preceito sobre preceito. Se neste estudo você encontrar algo que seja difícil de entender ou crer, não o descarte imediatamente. Ao invés disso, peça a Deus para fortalecer o seu fundamento de fé, e procure conhecê-Lo conforme Sua palavra O revela.

Footnotes

1Wikipedia®, Second Law of Thermodynamics. (http://en.wikipedia.org/wiki/Second_law_of_thermodynamics). Retrieved November 15, 2006.

Scripture quotations taken from the NASB